Autómato Celular Auto-Reprodutor de Von Neumann

O problema com a reprodução da máquina é que o construtor universal é um robô sem mente. Tem que se lhe dizer muito explicitamente o que a fazer. A solução de Von Neumann era adicionar ” uma unidade supervisória “ para lidar com as tarefas. A auto-reprodução poderia então ocorrer em duas fases. Na primeira, sob a orientação da unidade supervisória, o construtor universal constrói uma nova unidade universal. Quando esta construção está completa, a unidade supervisória copía a planta da sua cosntrução e transfere a cópia para a nova máquina.

 Von Neumann começou com uma rede, com cada célula num estado inactivo. Um organismoc om duzentas mil células  era então introduzido. Os detalhes desta criatura eram representados pelos diferentes estados das células individuais – havia 29 estados possíveis. As diferentes combinações destes estados geriam o comportamento do organismo e definiam o próprio organismo.

O autómato foi moldado como uma caixa com uma cauda muito longa; a caixa, com aproximadamente oito células de comprimento, continha os seguintes sub-organismos:

  1. Uma fábrica, (recolhendo ‘materiais’ do ambiente organizando-os de acordo com instruções de um outro suborganismo),

  2. A duplicadora de  (leitura de instruções informativas e respectiva cópia),

  3. O computador  (o instrumento do controlo);

Uma vez que este autómato foi englobado numa rede, cada célula, como uma máquina de estado finito individual, começou a seguir as regras que lhe foram aplicadas. O efeito destes comportamentos locais fez com que emergisse um comportamento global: a estrutura auto-reprodutora interagiu com as células vizinhas e mudou alguns dos seus estados. Transformou-os em materiais – nos termos de estados da célula – que compõem o organismo original. A cauda da célula contem  instruções para o corpo da criatura. Eventualmente, ao seguir as regras de transição, o organismo duplica o seu corpo principal; a informação foi passada através ‘ de um cordão umbilical ‘, do pai à criança. A última etapa no processo era a duplicação da cauda, e o separação ‘ do cordão umbilical ‘. Duas criaturas idênticas, ambas capazes da auto-reprodução, estavam agora na rede.

Olga Pombo:  opombo@fc.ul.p
Advertisements
This entry was posted in Body. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s