AnarcoIndividualismo

Não é uma filosofia simples, mas que se refere a um conjunto de filosofias individualistas que estão frequentemente em conflito umas com as outras, e nunca foi um movimento social, mas um fenômeno filosófico/literário influenciado pelo pensamento de de William GodwinHenry David Thoreau com a temática do transcendentalismo, Josiah Warren defendendo a soberania individual, Lysander Spooner, Pierre Joseph Proudhon e Benjamin Tucker focando no Mutualismo, Herbert Spencer.

Chaotic Neutral

O anarquismo filosófico, isto é, que não defende uma revolução para remover o estado, “é um componente especial do Anarcoindividualismo (ou Anarquismo Individualista) sendo uma tradição filosófica do anarquismo com ênfase no indivíduo, e sua vontade; argumenta que cada um é seu próprio mestre, interagindo com os outros através de uma associação voluntária, relacionada ao Mutualismo: o indivíduo se associa livremente a uma sociedade de homens livres (Proudhon). Assim o anarquismo individualista refere-se a algumas tradições de pensamento dentro do movimento anarquista que priorizam o indivíduo sobre todo tipo de determinação externa, que ele é um fim em si mesmo e não um meio para uma causa, incluindo grupos, “bem-comum”, sociedade, tradições e sistemas ideológicos.

Max Stirner (Johann Kaspar Schmidt)

Max Stirner foi um filósofo alemão classificado como um dos pais da literatura do niilismo, existencialismo, pós-modernismo e do anarquismo, mais especificamente do anarquismo individualista em sua forma mais extrema. Em sua obra O único e sua propriedade (1844), procura demonstrar como, através da história, a humanidade foi levada a se sacrificar por ideais abstratos (fantasmas). Estes ideais, ao invés de trazerem felicidade, apenas serviram de fachada para que uma minoria de indivíduos egoístas se beneficiasse do trabalho da maioria da população. Contra isto, Max Stirner propôs que todos os indivíduos se tornassem egoístas também, se associando voluntariamente conforme necessário, mas zelando pelos seus próprios interesses pessoais. Segundo ele, só assim a exploração de poucos por muitos poderia ser abolida. Stirner não recomenda, ao indivíduo, tentar eliminar o Estado, mas simplesmente desconsiderá-lo e, quando ele entrar em conflito com suas escolhas autônomas, combatê-lo. Ao fazer isso, o indivíduo estará de acordo com seus próprios interesses. Ele diz que o egoísta rejeita a busca da devoção a “uma grande ideia, uma doutrina, um sistema, uma vocação sublime”, dizendo que o egoísta não tem vocação política, mas “vive por si só” sem levar em conta “quão bem ou mal a humanidade assim passa”. Stirner considerou que a única limitação sobre os direitos do indivíduo é o seu poder para obter o que deseja.

via:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anarquismo_individualista

AnarcoIndividualismo ou Anarquista Individualista – Vertentes do Anarquismo

 

 

 

This entry was posted in Mind. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s